Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Diversidade econômica que gera desenvolvimento

Publicado em 15 de Setembro de 2021 ás 11:53 , por VALMIR FARIAS

Diversidade econômica que gera desenvolvimento

Com 35 anos de emancipação, município se destaca como um dos principais polos de desenvolvimento do Brasil

 

Colonizado a partir os anos de 1970 por migrantes sulistas e emancipado política e administrativamente em 20 de maio de 1986, Sorriso está localizado na região Norte de Mato Grosso, exatamente no centro geodésico do estado, onde o cerrado faz a transição com a floresta amazônica.  Com um PIB de R$ 6,050 bilhões, o município é a quinta maior economia do estado.

Servida pela BR-163, distante 80 quilômetros de Sinop e a 395 quilômetros de Cuiabá, possui  uma localização privilegiada e uma logística favorável, que facilita o escoamento da produção para os portos do Norte do país, como o de Miritituba, no Pará, distante pouco mais de mil quilômetros. A cidade está também a 616 quilômetros da Ferronorte, que liga o Mato Grosso, a partir de Rondonópolis, ao porto de Santos, no litoral paulista. 

A cidade conta ainda com o Aeroporto Regional Adolino Bedin, que tem capacidade para operar voos comerciais, e é cortada também pela MT-242, que faz a ligação entre as regiões Oeste e Leste do estado. Investimentos previstos na implantação de importantes ferrovias que passarão pelo município, incrementarão ainda mais a logística de Sorriso

Com uma população estimada em 94,4 mil moradores, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município registrou entre 2010 e 2021 um aumento populacional de 42,72%, com uma taxa de crescimento anual de 3,56%.

Com um território de  9.346.873 quilômetros quadrados, Sorriso tem a maior área agricultável do mundo. Com 827.833 hectares aptos para o cultivo, o agronegócio teve um PIB de R$ 1,313 bilhão em 2018, valor que triplicou em 2019 chegando a R$ 3,9 bilhões, segundo a Prefeitura Municipal. 

Se o agronegócio é forte, o setor de serviços não fica atrás, tendo sido o que mais contribuiu com a economia local, gerando R$ 2,7 bilhões em 2019. Por sua vez, a indústria foi responsável por um faturamento de R$ 777,292 milhões naquele ano, enquanto a Administração Pública (Defesa, Saúde Pública, Educação e Seguridade Social) injetou R$ 575,403 milhões no PIB do município.

Com todo esse potencial econômico, Sorriso é um dos maiores geradores de empregos de Mato Grosso. Em Julho, de acordo com o CAGED, o município apresentou um saldo positivo de 518 novos postos de trabalho. 

RENDA PER CAPITA E QUALIDADE DE VIDA

Com 11,4 mil empresas em funcionamento, segundo o IBGE, um comércio variado e um setor de serviços forte, além de um agronegócio dinâmico, Sorriso tem uma renda per capita de R$ 68,8 mil, bem acima da média nacional, que é de R$ 37,1 mil. 42,24% de sua população tem ocupação formal.  

Com um IDH de 0,744, indicador considerado alto, o município, Sorriso tem uma educação de qualidade, com um IDEB acima da meta estabelecida pelo MEC para a séries iniciais. E se o Ensino Básico e o Fundamental são de alto nível, a cidade caminha para se tornar um grande polo educacional no Ensino Superior, com 4 faculdades que ofertam cursos presenciais, um campus do IFMT e 6 faculdades com graduação a distância, além de 3 escolas técnicas.  

Na Saúde, Sorriso também apresenta bons índices e uma estrutura condizente com o perfil da cidade, ofertando um atendimento de qualidade à população de baixa, média e alta complexidade por meio de uma bem estruturada rede formada por estabelecimentos públicos e privados.

A cidade conta ainda com 100% da área urbana servida por água tratada e coleta de lixo. Com ruas e avenidas bem planejadas, sinalizadas e com acessibilidade, a estrutura urbana é complementada por praças, parques e espaços para a prática esportiva e o lazer, que garantem uma excelente qualidade de vida à população.

UM PIB QUE SÓ CRESCE

Toda pujança do agronegócio, do setor de serviços e da indústria de Sorriso resulta em uma economia forte e que a cada ano cresce ainda mais. Para se ter uma ideia, em oito anos o Produto Interno Bruto do município aumentou em 230%, tornando-se o quinto maior de Mato Grosso.

Em 2010, de acordo com o IBGE, a soma de todos os bens e serviços gerados no município foi de R$ 1,834 bilhão. Em 2018, esse valor foi de R$ 6,050 bilhões, o que dá um crescimento médio anual de 28,75%. 

Vale destacar que nesse intervalo de tempo, a economia de Sorriso apresentou somente resultados positivos, sem que em nenhum ano tenha tido valor menor ou igual ao anterior. 

CAMPOS PRODUTIVOS

O agronegócio é a pedra angular que dá sustentação aos demais setores da economia de Sorriso por influenciar direta e positivamente sobre eles. Capital brasileira do agronegócio, com destaque para a produção de grãos e pluma, o município é forte também na produção de proteína animal como a carne suína, a de frango, e de peixes em cativeiro. 

A soja, de acordo com o IBGE, é a cultura com maior representatividade no agronegócio local, seguido pelo milho e pelo algodão. Sorriso é também grande produtor de feijão e culturas como o arroz e o girassol ocupam lugares de destaque no portfólio produtivo do município. 

Culturas como mandioca, tomate, cana-de-açúcar,  batata doce, melancia e até flores, também são exploradas em Sorriso, principalmente nas pequenas propriedades. Juntas, essas lavouras ocuparam 2,8 mil hectares em 2019.

Na pecuária, o município se destaca na produção de suínos, na criação de frangos e de peixes em cativeiros, atividades que fazem parte de uma cadeia de produção responsável pela geração de milhares de empregos no campo e na cidade. A criação de gado de corte e de leite também contribuiu de forma importante com a economia local.

 

EM FRANCO DESENVOLVIMENTO

Alavancada pelo seu grande potencial econômico, Sorriso tem vivido ao longo dos últimos anos um desenvolvimento acelerado em todos os setores da economia, no entanto, um dos que mais cresce é o imobiliário, com novos loteamentos e condomínios residenciais verticais e horizontais e polos empresariais sendo implantados em todas as regiões da área urbana. 

Os novos empreendimentos vencem as barreiras naturais e transformam regiões antes desabitadas em modernos bairros, com ruas e avenidas amplas e bem planejadas, espaços de lazer e áreas verdes que proporcionam qualidade de vida e segurança aos moradores. 

Sorriso, de acordo com a Secretaria de Cidade, possui atualmente 24 mil imóveis construídos e 35 mil terrenos ainda desocupados. E com a expansão urbana em alta, a construção civil também está aquecida. Em 2020 foram aprovados 1.814 alvarás de construção, enquanto que em 2021, até o mês de agosto já haviam sido aprovados 1.089. 

Outro setor que se destaca em termos de crescimento é o industrial, que nos últimos anos tem atraído um grande número de empresas que atuam nos mais variados segmentos e que escolhem Sorriso para se instalarem em razão da grande oferta de matéria-prima e de sua localização. 

 

DE SORRISO PARA O MUNDO

Da soja a vísceras animais, do milho a legumes, Sorriso exporta boa parte de sua produção agrícola e pecuária para diversos países mundo a fora, contribuindo com a balança comercial brasileira e fortalecendo o agronegócio local e estadual. 

De acordo com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), entre janeiro e junho de 2021, Sorriso foi responsável por 0,8% dos embarques feito pelo Brasil para outros países. 

Em valores, o município exportou no período U$ 1,282 milhão, montante que lhe garantiu a 22ª melhor colocação no ranking brasileiro das exportações. Em uma década, o crescimento das exportações feitas por Sorriso aumentou em mais de quatro vezes. Em 2010, de acordo com MDIC, os embarques feitos pelo município somaram U$ 344 milhões. 

No cenário estadual, Sorriso é o segundo maior exportador de commodities, tendo como principais parceiros comerciais a China, que comprou U$ 458 milhões nos primeiros seis meses de 2021, seguido por México com R$ 36,3 milhões, Rússia com R$ 26,3 milhões, Argélia com U$ 24,1 milhões, a Espanha com U$ 58,8 milhões, e a Alemanha com U$ 29,5 milhões. Ao todo, Sorriso exportou no primeiro semestre deste ano para 29 países. 

Os principais produtos exportados foram a soja, com 89,9% de participação nos embarques realizados; o milho, com 4,4%, e o algodão em pluma, que correspondeu a 2,5% das vendas para o exterior. Tortas e outros resíduos sólidos extraídos da soja contribuíram com 3,7% das exportações do município enquanto que a carne correspondeu a 0,14%. Vísceras animais, legumes e outros produtos somaram 0,31% do total das vendas para outros países. 

Em 2020, os embarques feitos por Sorriso, segundo os dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, foram de U$ 1,68 milhão, valor correspondente a 10,1% das exportações de Mato Grosso. 

O resultado garantiu para o município o 2º lugar na lista dos que mais exportaram naquele ano no estado e o 21º lugar no ranking nacional das exportações. Os produtos com maior volume de exportação foram a soja, o milho e o algodão. 

 

SORRISO E SUA ÁREA DE ABRANGÊNCIA 

Sorriso é polo de uma região formada por mais seis municípios - Vera, Nova Ubiratã, Itanhangá, Ipiranga do Norte, Santa Rita do Trivelato e Feliz Natal, onde vivem 152,2  mil moradores e são cultivados mais de 1,8 milhão de hectares.

A soja é a cultura com maior área cultivada: 1,7 milhão de hectares. O milho vem em segundo lugar, com 1,2 mil hectares. O algodão é cultivado em uma área de 80,6 hectares. O arroz é plantado em 20,2 mil hectares e o feijão em 74,2 mil hectares. 

Na pecuária, os seis municípios têm um rebanho bovino formado por 256,3 mil animais. O plantel de suínos é formado por 26,0 mil matrizes e 509,1 mil animais. Criam também 9,0 milhões de frangos de corte e 431,4 mil galinhas poedeiras. 

 Juntos, esses municípios têm um Produto Interno Bruto de R$ 9,7 bilhões. 

Vídeos

Dados do Município

REVISTA DIGITAL