Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Linha do tempo

Publicado em 04 de Setembro de 2021 ás 15:29 , por Uma história escrita por várias mãos

Uma história escrita por várias mãos

Desde os tempos mais remotos até os dias atuais, Primavera do Leste desenvolve um enredo de grandes avanços e conquistas

Se a partir dos anos de 1970, migrantes de diversas regiões do Brasil iniciaram o processo de transformação do cerrado em lavouras produtivas, fazendo de Primavera do Leste uma das maiores potências econômicas de Mato Grosso e uma das melhores cidades para se viver e investir, é preciso destacar que antes deles vários outros personagens deram início à abertura do caminho que resultou nesse grande progresso. 

Foram homens, mulheres, verdadeiros desbravadores, que caminhavam por suas terras desde o século XVII em busca da riqueza e do desenvolvimento que só aconteceram três séculos depois que o primeiro bandeirante em busca do ouro de Cuiabá cortou o cerrado da região Leste de Mato Grosso e as lavouras passaram a dominar a paisagem. 

Essa longa caminhada, marcada por fatos e conquistas, ainda não foi concluída e Primavera do Leste, cidade ainda jovem, tem muito a avançar e muitos capítulos a serem escritos na sua história. 

 

1737 – É criado um caminho ligando Cuiabá a Goiás, passando por Chapada dos Guimarães, Campo Limpo (hoje Campo Verde) e o rio Sangradouro. Mais tarde, essa rota seria a BR-070.

1772 – Passa pela região de Primavera do Leste, vindo do Rio de Janeiro, o governador e capitão-general da Província de Mato Grosso, Luiz Albuquerque de Mello Pereira e Cáceres, que seguia para Vila Bela da Santíssima Trindade. 

1883 – No mês de novembro, vindo de São Paulo, passa pela região de Primavera do Leste o primeiro bispo da Diocese de Cuiabá, Dom José Antônio dos Reis.

1890 – É iniciada a instalação da linha telegráfica entre Cuiabá e Registro do Araguaia, em Goiás, comandada pelo major Ernesto Gomes Carneiro. 

1901 – Os irmãos Salesianos chegam à região do Rio Barreiro e acampam no lugar conhecido por Tachos para dar início à criação de uma missão com objetivo de catequizar e educar os índios bororo e os poucos moradores brancos.  

1902 – Nesse ano a Colônia Indígena do Sagrado Coração de Jesus é criada pelos irmãos Salesianos. 

1906 – Quatro anos depois da chegada dos missionários Salesianos, é criada a Missão Salesiana São José do Sangradouro

1911 – Passagem da comissão de implantação da linha telegráfica ligando Cuiabá a Barra do Garças, liderada pelo marechal Cândido Rondon

1914 – Criada a Prelazia do Registro do Araguaia, com jurisdição sobre a região de Sangradouro.

1920 – Com a consolidação da Missão Salesiana, é criada a Paróquia de São José do Sangradouro.

1924 – É dado início ao povoamento de São Pedro, que anos depois seria o município de Poxoréo, do qual Primavera do Leste foi desmembrada após sua emancipação

1926 – Começa o garimpo de diamantes no povoado de São Pedro, atraindo centenas de garimpeiros

1926/1927 – Fugindo das Forças de Segurança Pública e dos Batalhões Patrióticos, a Coluna Prestes, movimento revolucionário que durou de 1923 a 1927, passa pela região, onde enfrenta uma tropa governista durante uma batalha nas proximidades de Sangradouro. 

1930 – Joana Cândido de Mello, a “Velha Joana”, primeira moradora da região, chega ao local onde seria a cidade de Primavera do Leste e constrói seu pequeno rancho às margens de um córrego que depois passou a ter o seu nome.

1932 – É criado o Distrito de Paz de Poxoréo.

1938 – É criado o município de Poxoréo. 

1952 – É construída a Igreja da Paróquia de São José do Sangradouro, mais ampla e confortável para atender aos fiéis. (Foto Construção da Igreja em Sangradouro)

1955 – Morre Joana Cândido de Mello, a primeira moradora da região de Primavera do Leste. Seu corpo é sepultado onde mais tarde seria o Parque Eldorado. O gaúcho Sabino Arias adquire 10 mil hectares na região conhecida como “Promissão”, onde pretendia iniciar as atividades agropecuárias. 

1959 – O doutor Sabino Arias dá início à abertura e à exploração da área adquirida quatro anos antes, protagonizando o que seria mais tarde uma verdadeira revolução produtiva no cerrado.

1961 – Chega à região o baiano João Basílio e mais seis famílias vindas de Santana das Neves (BA). João Basílio hospeda-se em uma pensão coberta de com palha, que pertence a Sebastião Nobre Dourado

1961 – O fazendeiro João Pedro do Nascimento chega à região com a família e implanta a fazenda Cachoeirinha. Operários que trabalhavam na abertura da BR-070 acampam na Fazenda Cachoeirinha.

1962 – Estoessel de Oliveira Naves implanta propriedade onde atualmente está o Jardim Riva.

1963 – Chegam à fazenda de Sabino Arias os tropeiros Catu, Otávio e Santos trazendo com eles uma tropa de burros e cavalos.

1965 – Por iniciativa do doutor Sabino Arias, são abertos os primeiros 30 quilômetros da estrada que no futuro viria a ser a MT-130. 

1968 – Para implantar a fazenda de Meno Koln, chegam à região os gaúchos Lindolfo e Edemar Trampusch. No mesmo ano, o Grupo Campliglia implanta o Projeto Volta grande, às margens da MT-130.

1970 – Edgard Cosentino e outros investidores adquirem áreas na região em meados daquele ano.

1971 – Empresários paulistas criam o Projeto Fazenda Primavera, por meio da empresa Primavera D´Oeste . Florindo Gasparotto e a esposa Ângela Coloniedo Gasparotto, hospedam-se na pensão de Sebastião Nobre Dourado, abrem a Fazenda Santa Ângela e iniciam o plantio de arroz onde hoje está o Parque Castelândia. 

1972 – Edgard Cosentino adquire a Fazenda Nova Esperança, onde hoje está o núcleo urbano de Primavera do Leste. Em 1973, os primeiros 1,1 mil hectares da propriedade são abertos para o cultivo de lavouras. 

1973 – São implantadas as fazendas Gaspar e Terra. Os irmãos Daltroso adquirem área e iniciam o cultivo do arroz. Pavel Kusnetsov e outros sócios compram a Fazenda Massapé. Movidas pelo espírito desbravador, as famílias Cerutti, Dal Piva e Donin, chegam à região. 

 

1974 – Em busca de novas oportunidades, chegam as famílias Castelli, Locatelli, Zelinski, Zenatti, Grozimenski, Scopel, Tomazi, Mahl, Otonelli, Daltrozo, Foking, Viana, Honosa, Argenta, Dalla Nora, Buzato, Viccari, Luchese, Renosto, Ravanello, Oliveira, Stefani, Mazzonetto, Marcon e Pazinatto. 

1975 - Nifodi Rijkoff e familiares chegam à região. É construída a primeira escola, que teve como primeira professora, Marlei Hentz. Patrulha mecanizada é adquirida para atuar na manutenção das estradas. A atividade comercial começa a dar os primeiros passos quando Antoninho Ravanello, Avelino de Oliveira e Nerci Mazzonetto, implantam um armazém de secos e molhados. 

1975 - Darnes Egydio Cerutti e Adevino Castelli criam uma empresa de venda e transporte de combustível (TRR), sendo esta a primeira de Primavera do Leste a ser registrada na Junta Comercial de Mato Grosso. O TRR foi o embrião do Posto Barril, criado naquele mesmo ano e que se tornou referência para a região. No seu entorno, pouco mais de cinco anos depois, iniciou-se a cidade de Primavera do Leste. 

1976 - Adevino Castelli constrói um barracão de madeira coberto com folhas de zinco e o aluga à Casemat. No local se realiza o primeiro baile do chope de Primavera do Leste. É implantada pela Prefeitura de Poxoréo a Escola Monteiro Lobato, sendo a primeira professora Marlei Entz.  Yoiti Tabata inicia a compra do arroz produzido na região. Começam a ser cultivadas as primeiras lavouras de soja na região.

 

1977- Antoninho Ravanello, Avelino de Oliveira e Nerci Mazzonetto instala um comércio de Secos e Molhados, Bar, Restaurante e Dormitório. 

1978 – Chegam as famílias Comiran, Renosto, Franco, Furlan, Zanchi, Bressan e Zanchet. É definido o local para a construção de uma usina hidrelétrica. Edgar Cosentino idealiza o Projeto de Loteamento Cidade de Primavera em uma área de 205 hectares, solicita autorização à Prefeitura de Poxoréu para a criação de núcleo urbano e dá início à venda dos terrenos. Lindolfo Trampusch candidata-se a vereador representando o Distrito, mas perde a eleição.

 1979 – É lançado oficialmente o Loteamento Cidade Primavera e dado início à abertura de ruas e avenidas. Mozart de Oliveira Melo constrói sua residência e um bar com cancha de bocha. 

1980 – No dia 4 de abril, o padre Onesto Costa reza a primeira missa no Loteamento Cidade Primavera, sob um cruzeiro colocado onde mais tarde seria construída a Igreja Matriz.  Forma-se a primeira diretoria da Igreja Católica, tendo como presidente Darnes Egydio Cerutti. É construído o Salão Paroquial.  É aprovado o Loteamento Cidade de Primavera. O INCRA expede o Certificado de Aprovação do Loteamento. 

1981 – Com a presença do governador Frederico Campos, é inaugurado um posto telefônico. No mesmo dia (26/09) o Loteamento Cidade Primavera é elevado a Distrito Administrativo de Poxoréu. O médico Milton João Braff dá início à construção do Hospital São Lucas, o primeiro da cidade, em uma obra iniciada pela Construtora Cosentino. 

1982 – Lindolfo Trampusch é eleito vereador por Poxoréu representando o Distrito Cidade Primavera.

1983 – É solicitada ao presidente da Assembleia Legislativa, Ubiratan Spinelli, a implantação de energia elétrica, exatoria, cartório, linhas telefônicas, correios e rede de água e esgoto.  É instalada a Exatoria Estadual e a subprefeitura. É inaugurada a agência do Banco Itaú. Adivino Castelli funda a Sociedade Recreativa Aquática e Beneficente Primavera, com piscina e clube.  

 

1984 - É criada a comissão pró-emancipação do Loteamento Cidade Primavera e Darnes Egydio Cerutti é eleito presidente. É inaugurado o Cartório de Registro Civil.  A Prefeitura de Poxoréu autoriza a criação do loteamento Parque Castelândia, por Adivino Castelli. É inaugurada a agência do Banco Bamerindus do Brasil e fundado o Rotary Club Primavera.

 

1985 – Com o crescimento da comunidade e o aumento da população, é preciso ampliar a oferta de serviços públicos, sendo então instalado um posto dos Correios, inaugurado o terminal rodoviário urbano e implantado o serviço de telefonia residencial e comercial. É escolhido o nome de Primavera do Leste para o futuro município. 

1986 – Na busca pela independência política e administrativa, em abril é realizado o plebiscito para emancipação do Distrito, que é levado a município no dia 13 de maio. Darnes Egydio Cerutti (PMDB) é eleito prefeito em eleição suplementar, vencendo José Fernandes Barbosa (PFL). São eleitos os primeiros vereadores. É inaugurada a pavimentação asfáltica da BR-070, facilitando a ligação com Cuiabá e com o estado de Goiás.  

1987 – Darnes Egydio Cerutti assume como prefeito e fica no cargo até o final 1988, quando são realizadas novas eleições. É inaugurado o primeiro posto de saúde, biblioteca pública, instaladas repetidoras de TV, inauguradas escolas, construídas estradas, pontes, galerias pluviais, iniciada a construção do campus da UFMT, construídas praças, creches, campo de futebol e pista de pouso e decolagem.  Visando melhorar a segurança da recém criada cidade, é instalado o destacamento da Polícia Militar.

1988 – O progresso começa a chegar à zona urbana com o asfaltamento das ruas Piracicaba, Bento Gonçalves, Blumenau, do Comércio, Rafael Borghetti e Avenida Porto Alegre. São asfaltados os primeiros 30 quilômetros da MT-130 e criada a Escola Municipal de 1º Grau Mauro Wendelino Weis. A Escola Estadual de 1º e 2º Graus Alda G. Scopel é reformada e construída uma quadra de esportes. 

1989 – Érico Pina e Ernesto Ruaro assumem os mandatos como prefeito e vice-prefeito. 

1989/1992 – Escolas são construídas, ruas e avenidas são pavimentadas e iluminadas; frota pública é equipada; estradas e pontes são construídas; é implantado o curso de Ciências Contábeis da UFMT; são construídos o ginásio de esportes e o aeroporto municipal. Construída a cadeia pública e a delegacia de Polícia Civil. 

1993 – Vilceu Francisco Marquetti e José Roberto Patrício assumem a Administração do Município. 

1993/1996 – Com o avanço das lavouras e o fortalecimento de outros setores da economia, Primavera do Leste passa a ser a  9ª economia do estado. É criada uma escola de 1º Grau na Colônia Russa, inaugurada a usina hidrelétrica, implantada a secretaria de Indústria e Comércio. É criado o conjunto habitacional São José. 

1994 - É dado início ao cultivo do algodão em Primavera do Leste. Com o passar dos anos e com cultivares adaptadas ao solo e ao clima da região, a cotonicultura passa a ocupar grandes áreas, transformando-se em uma das bases da economia local. O Governo do Estado, com apoio da Prefeitura, implanta uma unidade do INDEA 

1997 – Érico Piana Pinto Pereira e Irineu João Veit assumem como prefeito e vice-prefeito. 

2001 - Érico Piana Pereira Pinto e Valmor Ezequiel di Domênico, assumem os cargos de prefeito e vice-prefeito. 

2005 - Getúlio Viana e Valmir de Souza assumem os cargos de prefeito e vice-prefeito. 

2009 - Getúlio Viana e Paulo Eromar Berch assumem como prefeito e vice-prefeito. 

2013 - Érico Piana Pinto Pereira é novamente eleito prefeito, tendo como vice, Eraldo Gonçalves Fortes. 

2014 - Morre o ex-prefeito Vilceu Francisco Marquetti

2016/2020 – Getúlio Viana e José Alécio Michelon assumem os cargos de prefeito e vice-prefeito. 

2017 – Getúlio Viana e José Alécio Michelon são cassados pelo TSE. O presidente da Câmara, Leonardo Tadeu Bortolini é eleito prefeito em eleição suplementar, tendo como vice-prefeito Sérgio Luiz Fava. 

2021 – Leonardo Tadeu Bertolini e Ademir Ortiz de Góes assumem os cargos de prefeito e vice-prefeito. 

Vídeos

Dados do Município

REVISTA DIGITAL

6ª Edição Revista Fator MT - Primavera do Leste