Bom dia, Segunda Feira 04 de Março de 2024

Agro

Pecuaristas se reinventam para alimentar gado após pouca chuva

Publicado em 09 de Fevereiro de 2024 ás 08:35 , por DA REPORTAGEM COM G1-MT
Com a baixa da arroba, a escolha é por alimentos mais baratos, como o capulho do algodão – Foto: Divulgação

O baixo índice pluviométrico fez todo o setor do agronegócio se readequar para evitar maiores prejuízos nesta temporada 2023/24.

Nesse sentido, os pecuaristas de Mato Grosso estão tendo que complementar a alimentação do gado. Com a baixa da arroba, a escolha é por alimentos mais baratos, como o capulho do algodão.

Na propriedade do pecuarista Júlio Rocha Ferraz, são ao todo 180 animais, nas fases de recria e engorda. Segundo ele, a falta da chuva inabilitou que as pastagens recuperassem o vigor e os animais estão a mais tempo na terminação.

“Eu atrasei a minha terminação, já que foi a forma mais barata que eu encontrei de diminuir o meu custo. Se eu alimentava 10kg aos bois e passei a alimentar 7kg, isso gera um quadro que, apesar de não ser o ideal, era a melhor forma que eu tinha de economizar”, diz.

Ainda de acordo com o pecuarista, o custo por cabeça de gado chegou a subir R$ 400 a R$ 500 e, embora o insumo estava mais barato e a arroba ter melhorado, foi gerado um maior custo.

“A chuva ainda não está no ideal, mas as gramíneas rebrotaram e conseguimos o controle de pragas e não preciso usar outro tipo de insumo em um período de chuva”, conta.

Júlio diz ainda que as estratégias para reduzir custos devem ser mantidas ao longo do ano, à espera de preços mais atrativos.

Faça parte do nosso grupo de notícias no WhatsApp. Clique aqui.

Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.